Minhas mais humildes reverencias a todos.

27

MESTRE

Śrī Guru Mahārājācārya Mahāsūrya Paṇḍita Svāmī

32

AGENDA

Agenda Nacional Brasileira
Eventos com a Presença do Mestre

32 (2)

CURSOS

Cursos de Maestria Espiritual com o Mestre

Caminho de Maestria e Valores

Sumo Grão Mestre Polimata

Nossas mais humildes reverências a Śrī Śrī Gurujī. Sua Graça Śrī Guru Mahārāja Ācārya Mahāsūrya Paṇḍita Svāmī nasceu na Europa e, ainda muito jovem, iniciou sua jornada espiritual aos cuidados do Mestre Adepto Polimata Constantino El Caminante. Espanhol radicado no Brasil, mentor altamente refinado dentro das Ciências Ocultas, Magistra, Kaballah e da Magnus Opus Alchimicus, foi ponto de partida do caminho espiritual de Sua Graça.
Baseado numa profunda e comprometida busca, através das competências de seu Mestre, adentrou também no campo da História Antiga e Oculta, Línguas, Metalurgia, Matemática, Sociedades Secretas, Psicologia, Geometria Sagrada, dentre outros. Iniciou-se nos caminhos da Ufologia, Parapsicologia, Terapias Alternativas, Oráculos, Maçonaria e diversas outras sociedades secretas.
Foi recebido por vários outros pequenos mestres, que muito contribuíram para a o incremento de sua intensa busca pelo conhecimento e pelo fantástico.
Um caminho de profundos estudos iniciado em solo brasileiro encerra-se com a morte de seu Mestre Polimata, levando-o de volta ao velho continente para a continuidade de seus estudos junto a novos preceptores, realizando uma caminhada de quase duas décadas ao redor do mundo, em busca de sua maestria espiritual. Em Portugal, continua seus estudos acadêmicos em paralelo com sua busca espiritual.
Encontrando com mestres e sociedades secretas portuguesas, também se iniciou dentro do paganismo lusitano de Cariocecus e do Sacerdócio de Évora, estudando o misticismo lusitano e a cultura Templária. Após a morte de seu mestre, encontra-se com os primeiros alquimistas, experiência que o motiva a se aprofundar em pesquisas e experiências em busca da Magnus Opus, o que faz abandonar a universidade de direito. Após o seu casamento, que dura somente 2 anos, encontra no Algarve uma de suas principais mestras, Salomé. Esta, dotada de vasto conhecimento, lhe permite expandir os conhecimentos sobre psicologia, como também o inspira com histórias de sua juventude pela Ásia e Floresta Amazônica, junto a xamãs, feiticeiros e encantamentos.
Na Espanha, se dedica aos primeiros estudos ampliados sobre forja de aço e metalurgia ampliando seus conhecimentos alquímicos. Também se aprofundou no misticismo medieval, oráculos e terapias holísticas, o que marca o início de um caminho em busca de cura pessoal e refinamento. Na Andaluzia, encantou-se com o Rio de Cobre dos alquimistas e com a arqueologia da península ibérica, finalizando este período com sua peregrinação pelo emblemático Caminho de Santiago de Compostela.
Seguindo seus caminhos, em busca de aventura pela África, viveu com tuaregues e nômades do Deserto do Saara, passando algum tempo na cidade de Fez, no Marrocos, onde iniciou-se no Islamismo e no Sufismo. Chegando ao Egito, penetrou inicialmente na antiga cultura de Kemet, estudando mitologia e história, viajando pelo Nilo e visitando diversos sítios arqueológicos, encontrando-se com sociedades secretas ligadas tanto ao Culto de Isis como ao de Set, ligando-se a diferentes vertentes da cultura egípcia. No final de sua passagem, recebe a iniciação no Cristianismo Ortodoxo Copta Egípcio, após conhecer um de seus sacerdotes.
Em passagem pelo solo sagrado de Israel, percorreu o caminho cristão, estudando e peregrinando as vias de Jesus. Em Jerusalém, encontra-se com um velho ancião cabalista que veio a se tornar um dos seus mestres mais marcantes, no período em que teve a oportunidade de conhecer os maiores rabinos da época e a “sabedoria Divina de Deus em TUDO”. Chegando na Turquia, buscou o conhecimento dos dervixes, acetas cristãos, e outras sabedorias de pequenos mestres encontrados pelo caminho.
Posteriormente, chega na Grécia, onde busca a história dos Deuses do Olimpo, conhecendo muitos covens e grupos ligados ao Culto Pagão grego. Em solo Italiano, viveu no Vale Trentino, onde estudou Strega e iniciou seu estudo de gnose-vegetal, que anos mais tarde fomentaria sua viagem ao México, em busca dos ensinamentos deixados por Maria Sabina.
Já em Roma, penetrou no cristianismo e seu misticismo, como também nas antigas artes magísticas ainda vivas junto a pequenas sociedades e na antiga cultura romana junto a seus Deuses e locais sagrados. Entre seus caminhos pela Europa, destaca-se sua passagem pela França, Alemanha, Irlanda e Reino Unido, onde estudou arte, alquimia, ocultismo, druidismo, paganismo, misticismo e realizou sua apresentação formal em diversas sociedades secretas. Durante algum tempo, vagou pela Europa e, após momentos de desilusão pessoal, se alistou na Legião Estrangeira

Na Legião Estrangeira Francesa a experiência tem curta duração, mas permite que ele, ao sair do ônibus, pelo qual fora dispensado pela Legião Estrangeira Francesa, encontre seu primeiro Guru em uma estação de trem: Sua Graça Somaka Mahārāja Svāmī. Assim, simplesmente o seguiu até um pequeno templo e se rendeu no mesmo dia após assistir ao satsaṅga de seu Guru.
Como monge, serviu ao Sanātana-dharma vaiṣṇava em vários países, sendo iniciado como svāmī antes da morte de seu Gurujī, acontecimento de profunda importância que o abalou. Continuando sua busca, rumou para a Mãe Índia onde, a exemplo de Sua Santidade Śrī Rāmakṛṣṇa Paramahaṁsa, buscou outras Maṭhas, Sampradāyas e Gauḍīyas, e através da misericórdia e compreensão de vários Gurus, ao verem e reconhecerem a via espiritual de nosso Ācārya, lhe agraciaram também ao recebe-lo na ordem de saṃnyāsins vedānta e śivaíta, mais tarde se tornando um mestre tântrico.
 Em passagem pela Amazônia brasileira, viveu no Rio Madeira e Rio Negro. Neste último, iniciou seu envolvimento com a cultura indígena, recebendo o convite para conhecer uma aldeia da Tribo Tucano. Lá, acabou vivendo longo tempo, sendo adotado pela tribo e então iniciado por importantes Pajés nos segredos dos Arumuyás, Ushaynuvos, Rumês e do Nagual através de algumas ervas de poder, entre elas Ayahuasca.
Posteriormente, passou por outras etnias tribais amazônicas. Já no sudeste do Brasil, encontrou alguns mestres que lhe foram muito marcantes, como Chico Xavier, Rubens de Queiros e Waldo Vieira. Assim, pôde aprimorar sua mediunidade e capacidade de projeção astral, neurolinguística, que anos depois transformou-se em uma capacidade dimensional ímpar. Após seu retorno à Europa em pequenas viagens, a fim de definir qual seria os próximos passos de sua busca, consultou mestres e irmãos espirituais e então saiu em busca de um mestre budista que o aceitasse como um simples discípulo, estudando assim as bases do budismo tibetano e da cultura bö. Após a virada do milênio, decidiu retornar ao Brasil.
Estabeleceu sua ação missionária em São Paulo, abrindo um pequeno Centro Espiritual chamado Tupã Auê. Em paralelo, iniciou-se nas tradições religiosas afro-brasileiras. Cansado e desiludido com a caminhada, passou alguns anos em processo de semi-reclusão, o que proporcionou seu momento mais criativo, viabilizando a produção da base de diversos livros que refletem a sua maestria, humildemente escondida.
Através de uma viagem pelo interior do Brasil, conheceu mestres icônicos relacionados a gnose-vegetal (ervas de poder) que o introduziram em tradições ayahuasqueiras, responsáveis por um despertar de supraconsciência continuo, que o levou a realização do início do Polimatismo Moderno: “unir novamente os caminhos espirituais em uma só jornada.
” Fundou a Ordem Polimata do Brasil com seus moldes atuais em 2011, abrindo primeiramente a Cadeira de Xamanismo e Gnose-Vegetal em sua própria casa, mergulhando no Xamanismo do Caminho Verde Amazônico e envolvendo-se com algumas tribos, em especial as culturas Nawás do Acre, onde foi reconhecido entre os Pajés com um deles, o que lhe vale o título de Arumuyá Kane Satanawá Varinawá. O caminho de maestria é muito longo dentro do Polimatismo.
Assim, pelas próprias palavras de nosso querido Sumo Grão-Mestre: “Estarei estudando e alcançando novos conhecimentos, maestrias e sabedorias, mesmo diante da minha última dança, dentro deste mundo de dimensão temporal e material”. Assim dizendo que o conhecimento e a busca de realização e sabedoria nunca findam, podemos ainda esperar muito de nosso Gurujī nesta jornada polimata. Śrī Guru Mahārāja Ācārya Mahāsūrya Paṇḍita Svāmī e seus muitos nomes!

Texto retirado do esposo do livro “A Busca” autobiografia em processo de produção da História de Sua Graça S.G.M.P Śrī Guru Mahārāja Ācārya Mahāsūrya Paṇḍita Svāmī.

Conheça nossos Templos

Templo Mairiporã

Templo Boituva

Templo Campinas

Templo Jundiai

Templo Cruzeiro do Sul/ Acre

Missão Santa Catarina

Missão Portugal

Formação do Polimatismo

O Polimatismo é uma tradição milenar de sabedorias das mais diversas tradições espirituais que se manifestaram dentro da humanidade.

A palavra polimata vem do grego e se traduz no sentido de pessoa com muitos conhecimentos, muitas sabedorias, sábio entre sábios, muitas tradições. Sua origem se manifesta a partir de iluminados, sacerdotes, sábios e xamãs trocarem seus conhecimentos mais secretos entre si em busca de um caminho de realização espiritual plena e real, livre e sem prisões, afinal, a via é mística, cada caminhante se conecta diretamente a experiência Divina, vivenciando-a em sua totalidade. Assim não existe verdades, dogmas e limitações, apenas a jornada de uma alma percorrendo uma experiência corpórea em busca da iluminação, sejam quais forem as vias espirituais que lhe tragam respostas aos seus questionamentos e lhe complete com alegria e realização ao percorre-las.

Estes sábios concluíram que todas as vias espirituais e religiões, possuem parte da manifestação de Deus, sendo que cada religião encontrou um caminho diferente para chegar ao mesmo loca: DEUS.

Cada via espiritual possui em si as mais refinadas realizações, qualidades das diversas manifestações da Personalidade Divina. Podemos observar que cada tradição espiritual, possui qualidades únicas dentro de suas filosofias espirituais, tais como: humildade, alegria, gentileza, coragem, integridade, prosperidade, serenidade, paz, misericórdia…

Desta forma seus praticantes buscam estas qualidades, reconhecidas dentro de um estado de refinamento espiritual e de conduta dentro das mesmas, consequentemente a serem manifestadas pelos seus praticantes.

A Personalidade de Deus, se conectou a nós durante a evolução da humanidade de diversas formas diferentes, mediante as nossas necessidades. As várias manifestações Divinas não deveriam ser concluídas como uma Unidade, um Deus único, mais sim pela a sua total amplitude Divina em que se manifesta na totalidade, o Deus que se realiza em suas diversas personalidades e manifestações, assim Deus é Javé, Síva, Krsna, Alá, Ahura Mazda, Iripã, Oxalá, Tupã…E seus emissários e devotos que alcançaram realização espiritual sobre estas Personalidade Divinas, foram: Ahbraan, Jesus, Caitanya Mahaprabhu, Pajé Satanawa, Zoroastro, São Francisco de Assis, Srila Prabhupada, Sankaracarya, Chico Xavier, Madre Tereza de Calcutá, Hermes Trimegistro e quando nos referimos ao caminho do meio desta totalidade que chamamos de Deus, Sua Graça Śrī Guru Mahārāja Ācārya Mahāsūrya Paṇḍita Svāmī se encontra entre estes gigantes da espiritualidade do passado, porém no HOJE e AGORA de nossa existência.

Cada Personalidade Divina possui um arquétipo, uma área de atuação dentro dos 3 campos de ação: material, emocional e espiritual. Assim de forma natural cada realizador espiritual foi em busca desta qualidade divina, enquanto alguns necessitavam da força do Mar, invocavam Netuno, Iemanjá, Poseidon, em busca desta qualidade divina a nível material, fartura junto ao Mar, a nível emocional limpando e deixando fluir as emoções destrutivas que guardamos, que são alcançadas através da ligação espiritual junto ao Deus que manifesta estas qualidades.

Na antiguidade os guerreiros em batalha rezavam ao Deus da guerra com Ades, Carioceno, e não a um Deus de paz ou neutralidade, o que seria mais eficaz a um Juiz, moderador…

Pensemos em Deus como simples e pura água, a água está em tudo, na presença simples da humidade passando pelos alimentos, nossas roupas ou mesmo em pedras, afinal sem a agua só resta cinzas.

No polimatismo realizamos que tudo o que se possa falar ou mesmo realizar sobre Deus, que se limita ao nosso nível de consciência, conhecimento e realização. Desta forma não podemos conceber a Verdade Plena de Deus, apenas ainda de forma limitada, as suas diversas personalidades. Infelizmente devido à isso realizamos Deus como o personagem de um ator em um filme, e não reconhecemos o Ator, apenas o personagem que ele criou, chamamos isso no Brasil de síndrome de Odete Roitman, personagem televisivo de uma novela interpretado pela atriz Beatriz Segall, que devido ao sucesso primoroso de sua atuação e o limitado conhecimento e percepção da realidade de muitos ouvintes, lhe trouxe problemas com a dificuldade de alguns em reconhecer a pessoa Beatriz Segall como uma atriz em um papel televisivo, uma estória de ficção, a identificando como a vila Odete Roitman, um problema que passa por muitos atores de sucesso excepcionais junto a personagens.

Passamos por esta questão todos os dias e junto a nossa busca espiritual, escolhemos nos conectarmos com diferentes forças e personalidades divinas, baseados em que necessitamos, desta forma nos encontramos flutuando de forma rasa em uma piscina, enquanto não mergulharmos profundamente no oceano, seremos superficiais e limitados em nossas realizações.

Todas as vias trazem evolução espiritual, algumas energeticamente mais densas, mais próximas a realização material/espiritual do homem, já outras mais sutis, suaves em sua frequência, mais próximas da realização espiritual/divina.

“Deus escreve certo, por linha retas, nós que enxergamos tortamente” demonstrando assim, nossa clara limitação de conhecimento perante a grande divindade que se manifesta diante nossos sentidos.

Na virada deste século, as lutas religiosas devido a doutrinação de verdades superiores, tem nos levado ao preconceito espiritual, um anacronismo da natural baixa espiritualidade vivenciada ainda nos dias de hoje ditos modernos e civilizados. Ainda lutamos sobre a bandeira da religião, somos prisioneiros destas mesmas religiões que não nos permite conhecer a nós mesmos e, quando reconhecermos quem realmente somos, encontraremos nossas perguntas e respostas, e assim poderemos ser um Ser Espiritualizado em sua jornada de autoconhecimento e não um seguidor religioso.

Se Deus é um Só, as diversas verdades e igrejas confundem a busca espiritual.

Os caminhos espirituais se manifestaram de diversas formas durante a história da humanidade, encontrando vias pessoais e coletivas para que possamos nos religarmos a Suprema Divindade Espiritual.

O Polimatismo nasce da busca de sábios em se expandir além do domínio limitado dos ensinamentos e dogmas de suas “religiões” originais, ampliando seus conhecimentos e realizações espirituais perante a jornada da supre-consciência.

A jornada espiritual sem doutrina

Enquanto as religiões, filosofias ou doutrinas, buscam nos condicionar mediante seus ensinamentos, informando no que devemos acreditar, realizar, quais as perguntas a serem buscadas e realizadas, e suas naturais respostas. Desta forma estaremos encontrando a verdade e realização de um Mestre, como Jesus, Buda, Mahavir, Maomé…porém nós enquanto almas espirituais percorrendo esta experiência corpórea, possuímos a limitação de não poder realizar espiritualmente a consciência espiritual de outra alma. Temos que buscar a nossa auto-realização.

A vida espiritual deve ser percorrida do campo de batalha do “aqui e agora”, concretizando de forma consciente a necessidade do refinamento do conhecimento e realização aplicados em nossas vidas, vivenciando a verdadeira jornada da vida hoje, compreendendo nossa missão em busca da iluminação.

O caminho do místico e se ligar diretamente a manifestação Divina, sem intermediários que nos limitem a experiência direta com a Suprema Consciência de Deus, chamado por Todos os Nomes nas diversas formas que os humanos encontraram de se religarem com Ele, Ela ou Tudo.

O Polimatismo nasce de uma premissa que não possuímos uma verdade única ou doutrina, afinal as religiões são formas diferentes de nos religarmos com as diversas Personalidades de Deus, que os diversos buscadores espirituais comprometidos com sua busca encontraram, mediante sua cultura, época, necessidade, missão e refinamento de conhecimento e consciência manifestados em vida.

Não existe uma fórmula, caminho, doutrina ou pílula mágica para a realização espiritual, o que existe é a jornada em busca de realizar as perguntas importantes à nossa busca espiritual e de felicidade, uma reflexão inteligente emocionalmente e espiritualmente sobre nossa vida e direção que tomamos.

A Jornada Polimata:

Nossa jornada se inicia em busca do autoconhecimento sobre nós, pois sem nos conhecermos não podemos conhecer a manifestação Divina de forma real e verdadeira sem as limitações do ego, medo, conhecimento e de nossa mente que nos ilude e limita.

A Suprema Personalidade de Deus se manifestou de diversas formas, afinal nós enquanto seres encarnados temos necessidades diferentes, cada um necessita de soluções diferentes, somos universos únicos. 

Os vários caminhos Divinos

A Suprema Personalidade de Deus se manifestou de diversas formas. Enquanto espíritos encarnados possuímos diferentes missões baseadas no estágio de refinamento que nossa alma possui neste momento de existência. Desta forma, o Divino se relaciona diferentemente conosco, assim como acontece na vida que ocupamos os diversos papéis necessários à nossa experiência corpórea e emocional.

Em alguns momentos somos pais, patrão, amante, sobrevivente, amigo, acusador, “vitima”, herói…cada instante de nossa existência necessitamos de uma força ou percepção da nossa experiência em vida. Deus nos passou parte do conhecimento que nos preenche das mais diversas formas necessárias ao nosso refinamento de consciência em busca da Divindade. As religiões, filosofias e doutrinas são estas formas de manifestação na criação junto a humanidade.

Cada tradição religiosa se manifesta mediante uma necessidade de preencher uma necessidade humana, já que todas as religiões foram feitas pelo homem.

As pessoas continuam querem ouvir os sacerdotes, padres, gurus. Devemos iniciar o caminho do despertar e ouvir a nós, nossos mentores e conversar com Deus diretamente, pelas vias que desejarmos. Ao separar Deus em religiões e ensinamentos distintos por doutrinas e ideologias distantes, separamos a verdade em fragmentos.

Todos os caminhos espirituais levam a Deus.

Buscamos a união das diversas verdades religiosas, a possibilidade de caminhar espiritualmente em busca de nossa verdade única, que nos leva a Suprema Personalidade de Deus, que nos sentimos ligados como parte integral, em cada momento de vida.

O Polimatismo é como um leque de um pavão, cada dia uma verdade satisfaz o coração. Se o caminho não for de coração e verdade plena, não haverá realização dentro do campo da supraconsciência e iluminação.

Vivemos em um mundo com enorme facilidade de conhecimento como vemos com a internet, podemos conhecer de tudo um pouco, podemos hoje comer comida de todas as partes culturais do mundo em grandes metrópoles. O que nos impede de em nosso café-da-manhã comermos um breakfast americano, almoçar comida italiana e jantarmos comida indiana? Nada, só talvez o custo financeiro para alguns. O que nos limita em conhecer a culinária internacional ou a Suprema Manifestação de Deus nas diversas culturas e formas é somente nós mesmos. Um espírito limitado, não deseja conhecer um novo mundo de sabores ou mesmo um novo mundo espiritual dentro das várias realidades dimensionais que existem, deixando assim de vivenciar a real e plena conexão com Deus e suas infinitas possibilidades. Precisamos nos permitir a realizar novas experiências todos os dias.

Nossa comunicação com Deus ocorre em diversas dimensões e percepções. No caso da percepção limitada aos nossos sentidos, se manifesta através por exemplo do som, imagens, aromas, sabores…. Estamos sempre limitados enquanto espíritos encarnados de alguma forma: a mente, o corpo, a consciência ou o próprio conhecimento. Nosso objetivo é ir além do que nos limita e impede a verdadeira e plena realização de vida, seja ela material, emocional ou espiritual.

Agenda 2020

Agenda Fevereiro

Templo Polimata Mairiporã

01/02 – Sábado
Ritual de Uni
(Xamanismo)

02/02 – Domingo
Ritual de Lammas 
(Paganismo)

08/02 – Sábado
Satsang à Sri Shiva e Sri Parvathi

Busca de Visão 220
22 – 23 – 24
(Novo local)

 

Eventos Especiais

Cursos com o Mestre

Estudo avançado para Maestria particulares Serão ministrados por Sua Graça Acarya MahaSurya Pandit Swami, cursos intensivos para a formação de membros em estudos avançados de forma particular.
Os membros poderão pedir para avaliação de seus estudos ao Mestre, os estudos serão teóricos, filosóficos e práticos, podendo ser administrados pessoalmente e virtualmente, terão um valor variável pelo estudo em questão.
As regras serão colocadas pelo Mestre. Serão dispostas apenas 7 vagas semestrais. Lista de estudos que serão oferecidos em 2020.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.
Conteúdo a mostrar/esconder

Conteúdo a mostrar/esconder

Conteúdo a mostrar/esconder
Conteúdo a mostrar/esconder
Conteúdo a mostrar/esconder
Conteúdo a mostrar/esconder
Conteúdo a mostrar/esconder
Conteúdo a mostrar/esconder
Conteúdo a mostrar/esconder
Conteúdo a mostrar/esconder
Conteúdo a mostrar/esconder
Conteúdo a mostrar/esconder
Conteúdo a mostrar/esconder
Conteúdo a mostrar/esconder
Conteúdo a mostrar/esconder

Contato

Fale Conosco

INFORMAÇÕES

(11) 4485 – 0689 (fixo)

ou pelos Whats:

(11) 98596-3910
(13) 98854-8985 
(11) 99194-0955

TEMPLO POLIMATA MAIRIPORÃ
Estrada Pedro Pereira da Silva, 71 

TEMPLO POLIMATA BOITUVA

Estrada Pedro Pereira da Silva, 71 

TEMPLO POLIMATA CAMPINAS
Rua Amélia Rodrigues de Figueiredo, 850 – Campinas

TEMPLO POLIMATA JUNDIAI
Av. João Toresin, 3600 – Jundiaí

TEMPLO POLIMATA CRUZEIRO DO SUL
BR364 – RAMAL 3 São Francisco 4039